Mídia

Mídia
TAG na Mídia

Próxima seção

Fundo conservador com cota em Bolsa fica para 2018

Fundo conservador com cota em Bolsa fica para 2018

 

ETF de renda fixa alia diversificação, baixo risco e custo menor em relação às taxas cobradas de produtos tradicionais da indústria.

 

Por Danylo Martins | Para Folha de S. Paulo

31/07/2017 – 02h00

 

Primeiro fundo de índice de renda fixa com cotas negociadas em Bolsa deve chegar aos investidores brasileiros apenas no fim de 2018.

 

A expectativa é que o edital para escolher o gestor do primeiro ETF de renda fixa saia nos próximos meses.

 

Após a seleção, o gestor terá até 18 meses para lançar o investimento, diz Leandro Secunho, coordenador-geral de operações da dívida pública do Tesouro Nacional.

 

Os ETFs (sigla em inglês para Exchange Traded Funds) são fundos cuja rentabilidade acompanha o desempenho de determinado índice.

Assim como papéis de empresas, as cotas desse fundo são negociadas na Bolsa. No mundo, há mais de 6.000 ETFs, entre renda fixa, renda variável e commodities. No Brasil, há 15 ETFs listados na B3 (ex-BM&FBovespa), todos atrelados a índices de ações, como o Ibovespa.

 

A indústria global do produto tem aproximadamente US$ 4 trilhões em patrimônio, diz Rodrigo Araújo, do subcomitê de ETFs da Anbima (associação das entidades do mercado) e diretor da gestora americana BlackRock.

 

Por aqui, os fundos de índice registraram patrimônio de R$ 4,78 bilhões ao fim do primeiro semestre. A indústria de fundos como um todo fechou o período com patrimônio de R$ 3,8 trilhões, segundo dados da Anbima.

 

ALTERNATIVA

 

O ETF de renda fixa pode ajudar a destravar esse mercado, aproveitando que o investidor brasileiro aplica principalmente em opções conservadoras e simples.

 

A carteira do primeiro fundo terá títulos públicos, semelhantes aos oferecidos hoje no Tesouro Direto.

 

A ideia é privilegiar papéis prefixados ou indexados à inflação, com vencimento no médio e longo prazo. “O investidor vai comprar um fundo que seguirá determinado índice. Esse índice, por sua vez, poderá ter até 15 títulos com prazos distintos, o que traz diversificação e a rentabilidade tende a ser melhor ao longo do tempo”, explica Secunho, do Tesouro.

 

O ETF é uma alternativa mais simples em comparação os fundos tradicionais.

 

“Num só produto o investidor tem uma cesta de ativos. Quando a gente olha o ETF que segue o Ibovespa, é como se a pessoa estivesse comprando um ativo que vale pelas 59 ações das empresas do índice”, afirma Luis Gustavo Pereira, estrategista da Guide Investimentos.

 

CUSTO

 

Por não ter a chamada gestão ativa, ou seja, profissionais especializados para montar estratégias, o custo tende a ser menor em relação aos demais fundos do mercado, afirma Francisca Brasileiro, sócia-gestora da TAG Investimentos.

 

A taxa de administração, inclusive, será um dos critérios para a seleção do gestor do primeiro ETF. Outra vantagem é o baixo risco, afinal o emissor dos papéis que vão compor o índice é o Tesouro Nacional, considerado o melhor credor da economia.

 

O produto será isento do chamado come-cotas, cobrança semestral de Imposto de Renda que incide sobre os rendimentos dos fundos de renda fixa. No resgate do dinheiro, a mordida do Leão também será diferente.

 

Enquanto os fundos tradicionais são tributados pela tabela regressiva (cujas alíquotas diminuem conforme o tempo em que o dinheiro fica aplicado, chegando a 15% após dois anos), os ETFs de renda fixa sofrerão tributação de acordo como prazo médio do vencimento dos títulos.

 

Quanto maior a duração, menor será a alíquota – de 25,2% até 15%.

 

Alguns cuidados devem ser tomados antes de investir. Francisca, da TAG, reforça a importância de conhecer bem as características dos títulos que estarão na carteira do ETF. “Há oscilação no curto prazo, apesar da tendência de maior rentabilidade no horizonte mais longo”, afirma.

 

O ETF de renda fixa não funciona como o Tesouro Direto, alerta Secunho. A emissão dos papéis é feita pelo Tesouro Nacional, mas quem vende o fundo é o gestor. “É como aplicar num fundo de um banco.”

TAG Investimentos
TAG Investimentos
TAG Investimentos
TAG Investimentos
TAG Investimentos
SÃO PAULOAv. Santo Amaro, 48 - 6˚ andarItaim Bibi - São Paulo - SPCEP: 04506-000Telefone: (11) 3474-0000
BELO HORIZONTEAv. Afonso Pena, 4.273 - Sala 305Serra Belo Horizonte - MGCEP: 30130-008Telefone: (31) 2511-4936
CAMPINASR. Quirino do Amaral Campos, 144Sala 803 - Cambuí - Campinas - SPCEP: 13023-570Telefone: (19) 3342-7557
FLORIANÓPOLISRodovia João Paulo, 920,
Bairro João Paulo,
Florianópolis, SC.
Telefone: (48) 99933-2500
Copyright © 2016, TAG. Todos os direitos reservados.

As informações no presente material são exclusivamente informativas. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. Ao investidor é recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e do regulamento dos fundos de investimento ao aplicar seus recursos. Fundos de investimento não contam com a garantia do administrador, do gestor, ou ainda do futuro garantidor de crédito - FGC. Para s avaliação da performance de um fundo é recomendável uma análise de no mínimo 12 meses. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos; para mais informações sobre produtos e risco de fundos, entre em contato com nossa Central de Atendimento.